25.4.13

"Entro num acordo contigo..."



"Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício"





 "Se a paixão há de ser provisória, que seja linda e louca a nossa história"

Bruna Lombardi / Diário do Grande Sertão

24.4.13

Céu da semana


 Abrir as janelas, Sol macio derramando a manhã, outono que avança em sombras diagonais, chuva no jardim e ventos imprevisíveis. 
A Lua é Cheia em 25/4 às 16h57min. Lua de Buda. 
A Lua da iluminação de Sidarta Gautama, o Buda histórico, com a celebração do Festival de Wesak no Tibet. 
Ocorre quando o Sol está em Touro, signo associado à materialização e realização, e a Lua está em Escorpião, que simboliza transmutação e alquimia interior. 

Como anda a equação de matéria e energia na sua vida pessoal? 
Soluções que vêm de nós, trabalhos do denso ao sutil, do sutil ao denso, movimento da vida, interações do ser e do existir. 
Operários e artistas, no coração da Terra tecemos a luz dos dias, jogo de contas de vidro, mantra do respirar. "

Balneário dos Prazeres, Pelotas

Não imaginava que fosse tão bonito...
Tentei fotografar a Lua, me encantei com a água, tão azul...
É um paraíso, escondido. Poucas pessoas tem o privilégio de se deslumbrar com esse lugar...





















Aniversário da Débora




Comemorado com um delicioso almoço no restaurante "Delícias da Deti",  na Colônia de Pescadores Z3.

Colônia Z3












Chimarrão no Laranjal




- domingo de sol - aniversário da Débora - chimarrão - fotos - 
- conversinhas sobre temas diversos: esmaltes, filhos, relações (delicadas), idade, dietas - 
- areia - silêncio vindo da água - energia boa - alegria - festejar é preciso! -

Praia do Laranjal




"A Lagoa dos Patos, a maior lagoa costeira da América do Sul, o Mar de Dentro,
e faz parte da nossa paisagem desde Porto Alegre até a cidade de Rio Grande.
Uma parte da lagoa é inundada pelo Oceano Atlântico e, junto com a água do mar, entram os bichos de água salgada, como botos, leões marinhos, aves, peixes e camarões." (Link)












21/04/2013

Mudaram as estações...

Umidade e neblina, típicas de Pelotas...
Av. Dom Joaquim, 20/04/2013.




22.4.13

"Esses filhos perplexos diante da velhice dos pais"

Ah, como me fez bem ler este artigo da Eliane Brum!
Especialmente este trecho:
"Ao perceber que meus pais estavam envelhecendo, em determinado momento achei que tinha de assumir também o comando da vida deles. Considerei que, para ser uma boa filha, tinha de ter todas as respostas. Ou, invertendo o lugar, me apropriar do famigerado “eu sei o que é melhor para eles”. Aos poucos fui percebendo que estava me tornando uma chata pretensiosa. Com tanto medo que eles quebrassem que queria carregá-los no colo, mas minha estropiada coluna vertebral mal dá conta de sustentar meu próprio peso.
Com a gentileza que lhes é peculiar, meus pais escutavam meus palpites e minhas pregações e, claro, faziam exatamente o que queriam. Devagar fui me dando conta de que era só o que faltava ter vivido e experimentado tanto para chegar à velhice e ter de suportar uma filha tentando mandar neles. Percebi que o importante era estar por perto não só para o que fosse preciso, mas pelo prazer da companhia, e continuar capaz de escutá-los. 
Se precisam da minha ajuda, eles mesmos me dizem – não só com palavras, mas de maneiras mais sutis. E se fazem coisas que eu considero mais arriscadas, tanto a decisão quanto o risco continuam sendo deles, como sempre foram. Não por minha majestosa concessão, mas porque não tenho nenhum direito de impor qualquer vontade. 
Se depois de me tornar adulta eu nunca permiti que meus pais interferissem de forma autoritária na minha vida, por que é que eu me acharia no direito de me meter de forma autoritária na deles quando estão envelhecendo? Escutar de verdade ainda é o começo e o fim de qualquer relação de respeito mútuo – e de amor."


Texto completo no site da Revista Época.

17.4.13

Chorinho no Mosa

Com Átila Silveira, Renan Leme, Nando Barcelos e outros.
- Ouça no YouTube.


Música boa e amigos!


Eu, Patrícia e Graça.


Lídia, Gabriele e Nicole.

Para pensar:

Verdade que procuramos prazer e evitamos a dor?

“Todos criamos cascas protetoras, para nos defender dos outros. Bichos cascudos têm pouca mobilidade e machucam os demais. Uma velha tradição diz que o ser humano faz tudo para ter prazer na vida e evitar a dor. Verdade?

Normalmente não procuramos demonstrar o amor que sentimos, quando amamos. Amor é ruim? Feio? Dói?
Também evitamos o choro, mesmo quando a vontade é grande. Choro é feio? Dói?

A mulher e o homem apaixonados se encontram.Tem vontade de pegar um na mão do outro, afagar o cabelo, abraçar, olhar nos olhos, puxar o nariz, brincar de faz de conta, manifestar ternura, contentamento, alegria, felicidade. Mas em geral não fazem nada disso.
Tolhem os gestos mais espontâneos e ingênuos, que não são feios nem doem. Dariam prazer?

De fato (e infelizmente) na hora das coisas boas ficamos cheios de dedos. Não sabemos senti-las, muito menos nos entregar a elas. E usamos desculpas para esconder nossa incapacidade. Dizemos:

     ‘- Não estava na hora.
     - Ele não é a pessoa certa.
     - O lugar não era adequado.
     - O que iriam pensar?
     - Não devo, não sou dessas.’

Verdade que procuramos prazer e evitamos a dor?

Acho que acontece o contrário; defendemo-nos de coisas excelentes, fabricando uma casca protetora, verdadeira couraça. Os psicanalistas a chamam de defesa psicológica ou mecanismo de fuga ou proteção. Toda casca faz do indivíduo um especialista? Ele sempre responde as incertezas do mesmo jeito. Por isso, torna-se muito capaz numa direção, e incapaz na outra.

Alguns exemplos: o desdenhoso sabe desdenhar espetacularmente, mas sua habilidade termina aí. O orgulhoso é especialista em colocar-se acima das coisas, e incapaz de vivê-las. O gozador tem grande capacidade em rir de tudo, porém, não sente nada de importante, já que tudo é risível. O sério julga o mundo sério demais e achata a vida. Não sabe rir.

O displicente não leva nada a sério, então, não há nada que lhe interessa. A ingênua diz com espanto nos olhos que tudo é novo, mesmo acontecimentos velhos de muitos anos. E não se enriquece com acúmulo de experiências. O cobrador vive exigindo que as pessoas cumpram sua obrigação, com isso elimina a possibilidade (e risco) das respostas espontâneas.

O desconfiado está sempre desconfiado e afasta as coisas boas que interpreta como malévola. A eterna vítima é técnica em queixar-se, portanto não se arrisca a viver uma situação agradável. O Don Juan transforma a vida numa caçada à mulher, porém é incapaz de amar alguém.

O falador interminável teoriza sobre tudo e não vive, a vida é um dicionário. Esses são só alguns exemplos de cascas. Pois há tantas….e todas dificultam a vida. Como se fossem óculos escuros, impossibilitando a visão do arco-íris."

-> Texto completo, do Dr. Ângelo Gaiarsa, aqui.

 Link

 "A casca oprime, limita e sufoca. Nos torna burros em todas as reações que fogem a nossa especialidade. Nos deixa tensos e sem reações de forma que deixamos a vida passar sem realmente vivê-la. Como se passa o tempo.
As pessoas vivem entediadas com a monotonia da vida, seja a do trabalho, seja a da família e, ao mesmo tempo, vivem defendendo tenazmente as grades de sua prisão.”

Rotina


 

Não importa se a comida é simples, se não temos louça cara e toalhas de linho...
Arrumar a mesa para comer é um carinho cotidiano, com a gente, mesmo, ou com quem vamos dividir este momento. Não custa nada e é tão bom!

  
"Amor não é utopia, apenas pede coragem para viver."

A Ana Maria me disse isso, meio indignada, no meio de uma conversa. E eu achei perfeito.
Amigos dizem coisas preciosas. Às vezes hilárias, outras filosóficas. Contam suas experiências, nos ouvem, nos alertam, nos aguentam, nos entendem...
Resumindo: vou começar a anotar essas sacadas, estas frases, que eu adoro mas acabo esquecendo...

15 Anos da Gabriella

Centro Português, 06/04/2013.

A Gabriella é filha dos meus amigos Denilson e Giane e irmã da Danielle, que foi responsável por um dos momentos mais emocionantes da festa - ela cantou, em homenagem à aniversariante e foi bonito demais!



Festa maravilhosa, tudo perfeito!

Bons momentos, ao lado de pessoas queridas...

Meus amigos, com quem convivi diariamente nos anos em que trabalhei no banco. Saudades!

16.4.13

"Isso é vida"


"Não sei quanto a vocês, mas eu ainda acho, ainda sinto, que o romantismo é totalmente essencial. Digo ainda porque aos 20 anos ele nos brota na pele. Aos 30 ele nos derruba e a gente imagina, erroneamente, que em algum momento ele vai se esgotar. Mas não. O tempo passa, na verdade ele voa, mas um pedaço enorme de nós anseia permanentemente pela vertigem amorosa – e se debruça feliz sobre o abismo quando ela aparece. Aos 40 anos, aos 50 e seguramente, depois.

O romance é uma forma de oxigênio existencial: se eu respiro, vivo; se eu me apaixono, me sinto vivo."

É do Ivan Martins e faz todo sentido. Especialmente quando ele fala em "vertigem amorosa".
A passagem do tempo, estranhamente, não muda a nossa capacidade de nos sentirmos ridículamente românticos e apaixonados... Que bom!

"Isso é vida." Tenho ouvido essa frase com alguma frequência, ultimamente. E tem sido uma delícia constatar!

14.4.13

Melhor viver, meu bem




Ouça "Felicidade", do Marcelo Jeneci:

Cores




Nem que seja em pequenos detalhes.
Enfeitam a vida e alegram os olhos.

Energia boa e proteção



Gosto da cor vibrante, dos detalhes da parede, 
dos vaso com "espadas de são jorge", do portal de madeira... 
Qualquer casa simples pode se transformar com um pouquinho de cor e imaginação.
E pedir proteção não custa nada...

"Afinal, envelhecer não é ruim"




"Desaprendi o tempo.
Existem anos que a gente nem sente, 
noites que duram eternidades, 
centésimos de segundo que significam uma vida inteira.

Tudo é movediço. Não existem verdades absolutas, pessoas absolutas, tempo absoluto.
Viver é desafiar esse relógio inventado pra encurtar a duração das coisas...

Afinal, envelhecer não é ruim. Envelhecer é colher, é entender que nunca vamos caber inteiros dentro da gente, que oportunidades não devem ser perdidas, nem experiências, e nem afetos, é perceber que todas as vezes que chamarmos sinceramente pelo amor, ele virá.

 Envelhecer é aprender que muitas coisas nessa vida já vêm prontas e lindas, e que não é preciso enfeitá-las. Algumas pessoas são um bom exemplo disso. Envelhecer é descobrir que nossa casa de verdade, é dentro de alguns abraços."





"Falta lentidão.
Falta estarmos atentos às pequenas alegrias.


Falta aquele fragmento de tempo febril
em que meus olhos te devoram.


Falto eu na tua pele.
Falta coragem de desapegar do cais.
Falta concentração pra perceber cada pontinho dourado que existe num sorriso.


Falta gente que não desiste de gente.
Falta existência.


Falta amplidão.
Falta tanta coisa.


Mas sobram possibilidades.


E é por isso que amo a vida, 
porque todos os dias tudo pode ser diferente."


Texto: Solange Maia / Imagens: Saipua
Related Posts with Thumbnails